< return

Scilicet

Desde a sua introdução em 1998, por Jacques-Alain Miller, a categoria epistêmica das psicoses ordinárias não deixou de agitar o campo de nossa reflexão conceitual e clínica sobre as psicoses. Vinte anos mais tarde é um bom momento para comprovar o modo como temos repensado, no Campo Freudiano, aquilo que fazemos a partir dessa mudança de perspectiva. E tudo isso num contexto de época cuja novidade, vindo a posteriori, estava em grande medida antecipada por esse conceito que, desde então, é inseparável do modo como concebemos a nossa clínica, como escutamos cada caso e estabelecemos a orientação dos tratamentos.

Afinado com a leitura do último ensino de Lacan, mas sem deixar de lado seu ensino mais clássico, o debate atual sobre as psicoses ordinárias e as outras relança uma grande conversação no seio da AMP. O volume de Scilicet, como trabalho, não tanto entre vários, mas sim entre muitos, é uma fórmula particularmente adequada para refletir sobre ela e relançá-la.

 

Responsáveis: Enric Berenguer (enricberenguer@gmail.com) e Rosalba Zaidel (rosalba.zaidel@gmail.com)